Os Açores no "Almanaque de Lembranças Luso-Brasileiro"

Os Açores no Almanaque de Lembranças (1851-1932). Textos e Comentários (org. Maria Margarida Maia Gouveia e Vania Pinheiro Chaves)

Este projeto visa reunir num só volume o conjunto dos textos em prosa e verso de autores e assuntos açorianos editados no Almanaque de Lembranças – primeiro dos três títulos do anuário fundado por Alexandre Magno de Castilho – a par com notas, comentários e estudos sobre eles, redigidos por investigadores do CLEPUL e por outros estudiosos do assunto. 

Constituído por 86 volumes publicados entre 1850 e 1931 e reunindo um enorme leque de escritos de proveniência muito diversificada, o Almanaque inclui nas suas páginas interessante acervo de escritos sobre os Açores, cujo isolamento não impediu o seu acesso a este espaço de ampla projeção cultural. As ilhas foram tidas em conta por muitos motivos, que vão desde factos históricos importantes para a História nacional, ocorridos nos Açores, a acontecimentos estritamente insulares (calamidades, terramotos, vulcões), a crónicas de viagem, tradições e costumes, património, referências a vilas e monumentos. Conferem também interesse ao projeto a presença de escritores, que, sendo naturais e/ou vivendo nas ilhas, refletem o pulsar de uma vida literária modesta, mas em tentativa de sintonização com o exterior, e ainda as referências quer à atividade literária em geral, quer a jornais ou publicações periódicas da época.