Insularidade: Cultura, Literatura, História

No dealbar do século XXI e em tempo de plena democratização das novas tecnologias multimédia de fixação e divulgação de conhecimento, torna-se pertinente conceber e realizar um projeto avançado para investigar, reunir, atualizar e ampliar de forma exaustiva e sistemática o conhecimento da história, da herança cultural, da sociedade e do património em geral do arquipélago da Madeira. 

Integrado no contexto mais vasto da peculiaridade das culturas insulares, este projeto visa dar a conhecer às novas gerações, quer em língua portuguesa, quer noutras línguas de grande circulação da cultura internacional (v.g. inglês e espanhol), aquilo que de relevante distinguiu a Madeira nos vários planos da criação humana e que fez deste arquipélago um espaço geográfico, físico e humano com grande interesse para a história portuguesa e para a história internacional.

Procurando inscrever-se na esteira daqueles que ao longo dos séculos anteriores muito pesquisaram e escreveram sobre a Madeira, nomeadamente, entre estudiosos e escritores, os clássicos madeirólogos Fernando Augusto Silva e Eduardo Pereira, queremos atualizar, sintetizar, ampliar, compreender e divulgar, numa perspetiva contemporânea e com rigor científico e sentido pedagógico, o conhecimento que se tem acumulado sobre a Madeira. 

Procuraremos ainda fazer um esforço de revisitação dos arquivos mais conhecidos e menos conhecidos no plano nacional e internacional que possam acrescentar dados e perspetivas de interpretação novas ao que até hoje se sabe sobre a história, a cultura, a sociedade e a ciência das chamadas “Ilhas de Zarco”. 

Para o efeito, pretende-se reunir uma equipa interdisciplinar, internacional e intergeracional de investigadores e especialistas do nosso país e do estrangeiro, que se interessam e têm estudado este arquipélago nas mais diversas óticas e disciplinas (História, Ciências da Educação, Ciências da Informação, Engenharia, Arquitetura, Biologia, Ciências Biomédicas, Ciências Marinhas, Geografia, etc.). 

No culminar do projeto, previsto para 5 anos de trabalho, virão a lume uma Nova História Crítica Ilustrada da Madeira e o Dicionário Enciclopédico da Madeira, que deverá conhecer uma edição em papel e em versão de livro digital, consagrando o uso das novas tecnologias de edição, de ensino e divulgação de conhecimento. Poderemos assim colocar a Madeira numa linha avançada de realização de produtos científicos com face moderna no plano da conceção e da promoção junto do grande público, que se tornem referência e fonte para outras utilizações, nomeadamente ao serviço da indústria do turismo e da formação. 

A partir destes conteúdos científicos basilares, a equipa de investigação, redação e edição preparará no decurso do trabalho outros produtos complementares, desde documentários a manuais pedagógicos para os vários níveis escolares do ensino básico e secundário e ainda antologias críticas de textos para o ensino universitário.