Vozes de Cabo Verde e de Angola: quatro percursos literários

Autoria: Dina Chainho Chora, Ana Salgueiro Rodrigues, Elisabete Ricardo Gomes, Ana Paula Bernardo
Título: Vozes de Cabo Verde e de Angola: quatro percursos literários
Local: Lisboa
Edição: CLEPUL
Data: 2010
ISBN: 978-989-96443










Embora aparentando uma sensível diversidade, em larga medida devido a questões de ordem prática, os trabalhos que ora se apresentam, três da área cabo-verdiana e um da angolana, convergem no sentido de uma valoração que se pode interpretar em três níveis de entendimento, (i) – o relevante interesse das suas temáticas, (ii) – a oportunidade das publicações em atenção ao melhor conhecimento das respectivas literaturas e, (iii) – as tipologias de abordagem que procuram tirar partido de uma conjugação eficaz entre a perspectivação historicista e a leitura analítico-temática com maior ou menor suporte conceptual e teórico.
Dos estudos dedicados à literatura de Cabo Verde, o de Dina Chainho Chora ocupa-se da narrativa de António Aurélio Gonçalves, contemporâneo da geração a que se ficou a dever o lançamento da modernidade literária cabo-verdiana, na década de 1930. [...]

Pertencendo à geração etária imediatamente posterior á de A. A. Gonçalves, Orlanda Amarilis é uma representante do grupo cabo-verdiano designado Certeza (1944), de nítido recorte sociológico, quer no plano da ideologia dita do “novo Humanismo”, quer na atenção à problemática da mulher na vida social. [...]Revelado geracionalmente, no plano literário, em finais da década de 1950 e princípio da de 1960, João Manuel varela constitui porventura um caso único da literatura cabo-verdiana. [...]

Autora angolana, a poetisa Alda Lara é abordada por Ana Paula Bernardo neste trabalho pelo ângulo histórico que faz dela herdeira, e notável representante, de uma cultura e de um modo de vida onde a militante patriótica se deixa guiar pela entrega à solidariedade humana”

(excerto de "Apresentação", de Alberto Carvalho)